Notícias do Setor de TI

12 nov 2020
Comments are off

Elipse E3 e EPM geram um ganho econômico de 50% à STIHL via o monitoramento de equipamentos

Plataformas da Elipse Software permitem monitorar a condição e performance dos centros de usinagem do setor de cilindros, otimizando o ciclo de vida dos seus componentes

Com produtos destinados aos mercados florestal, agropecuário, construção civil, doméstico e de conservação e jardinagem profissional, a STIHL Ferramentas Motorizadas Ltda. dispõe de uma ampla linha de ferramentas motorizadas portáteis que podem ser encontradas em mais de 4000 pontos de venda distribuídos no Brasil. A fábrica da empresa está localizada em São Leopoldo (RS), onde trabalham cerca de 2700 colaboradores. A marca é líder no mercado brasileiro de ferramentas motorizadas portáteis.

Alguns componentes dos centros de usinagem, como motores/spindles de alta frequência, requerem manutenção/reparo/substituição durante seus ciclos de vida/utilização. Em busca de aumentar o tempo de vida útil destes componentes, tendo como consequência a redução no custo de manutenção, a STIHL necessitava de um sistema capaz de monitorá-los de forma contínua. Para isto, inicialmente, foram instalados sensores de medição da vibração dos rolamentos desses motores, bem como sensores de temperatura e vazão.

A falta de uma interface amigável para historiar dados aliada à baixa capacidade de armazenamento do software destes sensores fez com que a STIHL procurasse a Elipse a fim de poder gerenciar alarmes em tempo real e analisar a condição de alguns equipamentos da usinagem de cilindros de forma mais detalhada e precisa. Para isto, em maio deste ano (2020), a empresa decidiu utilizar as plataformas Elipse E3 e Elipse Plant Manager (EPM).

Tela do EPM que permite monitorar a saúde das máquinas de usinagem por meio das cores dos corações (verde = máquina saudável, amarelo = situação de alerta e vermelho = situação de alarme)

Com o EPM, a STIHL tem a mais completa, detalhada e precisa visão do estado de saúde das máquinas de usinagem de cilindros, 10 no total, indicando em qual variável está o problema que gera uma falha potencial no motor. Para isto, a plataforma da Elipse dispõe de uma série de displays gráficos e dashboards a fim de prover diferentes recursos e formas de análise.

O Elipse E3 foi a solução escolhida para fazer o gerenciamento dos alarmes. Através dele, é possível monitorar os alarmes e programar ações para manutenção intervir na ferramenta cujo comportamento apresenta alguma anormalidade, com base no histórico das medidas que foram tomadas anteriormente para resolver a mesma ocorrência. Com isso, o software facilita o trabalho da manutenção de modo que possa resolver o problema com mais agilidade e dentro do prazo estipulado pelo operador que reconheceu o alarme.

Importante destacar os trabalhos realizados pela TagInfo e Latos. A TagInfo Treinamentos e Manutenção de Softwares e Hardwares foi a empresa que implementou a aplicação das tecnologias da Elipse neste projeto. A startup Latos foi responsável por desenvolver a lógica da inteligência no EPM Processor para prever quebras nas máquinas com base nos dados armazenados pelo software.

“O EPM Processor é um ambiente que nos permitiu desenvolver rápido e eficientemente todas as nossas soluções. Através dele, conseguimos facilmente integrar e gerenciar aplicações em Python, permitindo assim que conseguíssemos concluir com sucesso nosso trabalho”, afirmou Jônathan Dambros, CEO da Latos.

Vale destacar também que todo o trabalho de implementação e mapeamento dos modos de falha foi realizado pela própria STIHL. Toda a instalação do sistema de coleta, pontos ideias, mapeamento da árvore de falha do equipamento foram realizados pela equipe de manutenção da empresa. Estes pontos foram fundamentais para o sucesso da implementação dos softwares da Elipse.

“Anteriormente, o controle era realizado manualmente de três em três meses. Neste intervalo, muitas das máquinas estragavam precocemente após 3 mil horas de funcionamento, a metade do tempo indicado pelo fabricante. Com a implementação da telemetria e utilização dos softwares Elipse E3 e EPM conseguimos mais que dobrar essas horas de uso, pelo fato de contarmos com sistemas que nos permitem visualizar o problema na sua origem, de modo a corrigi-lo rapidamente antes que estrague a máquina”, afirmou Lucas Haetinger, Analista de Manutenção da STIHL.

Mais informações no case.

A ELIPSE é empresa filiada à SOFTSUL desde 1995.

Fonte: ELIPSE